Últimas Notícias ver tudo

30/07/2014 - Impostos representam até 94% no preço de presentes para Dia dos Pais

A carga tributária nos presentes mais comuns comprados para o Dia dos Pais pode representar até 94% do seu preço, segundo pesquisa da consultoria BDO.


Entre os itens analisados, o campeão da lista é o uísque (94,25%), seguido por caixa de charutos (64,25%), garrafa de vinho (54,25%). Por outro lado, possuem carga tributária menor, por exemplo, mala de viagem (37,25%), camisa social (27,25%) e tênis (27,25%).
O Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) também fez uma pesquisa e, de acordo com os itens analisados, aponta que o perfume importado é o que apresenta a maior carga tributária embutida no preço do produto, com 78,43%, enquanto o nacional conta com 69,13% de tributos.
O presidente-executivo do IBPT, João Eloi Olenike, explica que a maioria dos principais presentes para a ocasião é de itens industrializados que têm incidência de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e, no caso dos importados, Imposto de Importação.
Veja a lista de presentes e sua carga tributária:
Água de colônia (nacional): 50,38% Almoço em restaurante: 32,31% Aparelho MP3 ou iPod: 49,45% Barbeador elétrico: 48,11% Bolsa de couro: 41,52% Flores: 17,71% Cachecol: 34,13% Gravata: 38,53% Ingressos: 40,85% Óculos de sol: 44,18% Perfume importado: 78,43% Perfume nacional: 69,13% Serviço de TV por assinatura: 46,12% Telefone celular: 33,08% Televisor: 44,94%
Fonte: IBPT

30/07/2014 - Linhares: UAB oferece 60 vagas de pós-graduação e cursos de aperfeiçoamento

A pós-graduação será ministrada pelo IFES, já o curso de aperfeiçoamento é pela UFES.

 

A Universidade Aberta do Brasil (UAB) - Polo de Linhares está ofertando 60 vagas para curso de aperfeiçoamento e pós-graduação. São 30 oportunidades para Aperfeiçoamento em Dimensões da Humanização: Filosofia, Psicanálise Medicina. Os cursos serão ministrados pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) na modalidade à distância.

Existem ainda e outras 30 vagas para pós-graduação em Informática na Educação, pelo Instituto Federal do Espírito Santo (IFES).

Pós-Graduação em Informática na Educação

A Universidade Aberta do Brasil (UAB) oferece 30 vagas para o curso de pós-graduação em Informática na Educação. As inscrições já podem ser realizadas e ficarão abertas até o dia 4 de agosto. A taxa para se inscrever é de R$ 50,00.

O curso, que tem como objetivo capacitar profissionais quanto ao uso das novas tecnologias no processo de ensino-aprendizagem, será ministrado pelo Instituto Federal do Espírito Santo (IFES)  na modalidade a distância e com encontro semanais no polo da UAB, que fica no bairro Novo Horizonte. O interessado deve entrar no sistema de inscrição do IFES, consultar o edital e realizar sua inscrição, conforme as orientações publicadas no documento.

Inscrições e edital clique aqui 

Aperfeiçoamento em Dimensões da Humanização: Filosofia, Psicanálise Medicina

O curso de Aperfeiçoamento em Dimensões da Humanização: Filosofia, Psicanálise Medicina é destinado a professores e pessoas que tenham graduação em qualquer área. Das 30 vagas, seis são destinadas aos profissionais da educação, com atuação comprovada. As inscrições são gratuitas.

As inscrições estarão abertas até o dia 08 de agosto e podem ser feitas no endereço eletrônico do Neaad. Depois de inscritos, o candidato realizará uma avaliação escrita, em caráter eliminatório classificatório, que acontece no dia 16 de agosto no polo da UAB, que fica no bairro Novo Horizonte. O resultado sai no dia 26. Para maiores informações, o candidato deve consultar o edital, disponível no link abaixo.

Inscrições e edital clique aqui 

Fonte: Linhares Em Dia

30/07/2014 - Acre e Roraima lideram alta da inadimplência em junho, aponta SPC Brasil

Média nacional foi de 4,39%. Região Norte teve crescimento acima da média: de 7,09%. Para economistas, mercado em desaceleração confirma tendência de alta para os próximos meses

No mês de junho, Acre e de Roraima se destacaram como os estados em que houve a maior variação do número de consumidores inadimplentes. As altas foram de 10,58% e de 10,47%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são do indicador mensal de inadimplência regional calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Dentre os cinco estados que registraram a maior variação de CPFs inadimplentes, dois são da região Norte – Acre (10,58%) e Roraima (10,47%) – e três da região Nordeste – Maranhão (9,40%), Sergipe (8,43%) e Ceará (8,13%). Na avaliação dos economistas do SPC Brasil, o resultado do indicador regional reforça a tendência de alta da inadimplência nacional – que em junho apresentou crescimento de 4,39% em relação a junho do ano passado – que deve se repetir ao longo do segundo semestre.


   
Crescimento do Total de Inadimplentes por Estado
Variação anual em % (mesmo mês do ano anterior)


“Essa tendência tem forte relação com o cenário de enfraquecimento da atividade econômica brasileira, apertada pela elevação da taxa de juros, alta da inflação e pelo menor crescimento da massa salarial”, explica a economista do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Apesar de a pesquisa ter apontado crescimento de inadimplentes em todos os estados brasileiros, onze tiveram avanço menor do que a média nacional (4,39%): Piauí (0,95%), Espírito Santo (1,36%), Distrito Federal (2,45%), Alagoas (2,49%), Mato Grosso (2,81%), Rio de Janeiro (3,02%), Santa Catarina (3,89%), Pará (4,04), Mato Grosso do Sul (4,10%), Rondônia (4,11%) e Rio Grande do Sul (4,37%).

Para o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, o fato de todas as unidades da federação apresentarem crescimento na quantidade de inadimplentes mostra que, independentemente das particularidades econômicas de cada região, a atividade do país como um todo está desacelerando em comparação com os anos anteriores. “O avanço da inadimplência não se deve apenas a fatores sazonais ou regionais. O detalhamento de junho do indicador mostra que o atual panorama macroeconômico tem impactado negativamente no atraso de pagamentos das dívidas no Brasil de uma forma generalizada”, disse Pellizzaro Junior.

Número de dívidas em atraso

A quantidade total de dívidas em atraso no banco de dados ao qual o SPC Brasil tem acesso mostrou, em junho, aumento médio de 5,00% em relação ao mesmo mês de 2013. A variação ficou muito próxima à alta de 5,21% verificada no mês anterior.

Já a abertura regional do total de dívidas em atraso mostra que as taxas de crescimento anual referentes às regiões Nordeste (7,43%), Norte (7,09%) e Sul (5,06%) ficaram acima da média nacional (5,00%). As regiões Sudeste e Centro-Oeste tiveram avanços ligeiramente menores, de 4,33% e de 4,14%.



Crescimento anual (%) em Junho de 2014



De acordo com os dados do SPC Brasil, apenas 11 das 27 unidades da federação apresentaram um crescimento da quantidade de dívidas menor na quantidade de dívidas menor do que a média nacional (5,00%): Amazonas (4,97%), Rio Grande do Sul (4,93%), São Paulo (4,93%), Alagoas (4,85%), Goiás (4,48%), Mato Grosso (4,35%), Santa Catarina (3,51%), Rio de Janeiro (3,22%), Distrito Federal (1,93%), Piauí (1,19%) e o Espírito Santo (0,06%).



Número de Dívidas por Estado
Variação anual em % (mesmo mês do ano anterior)


O Acre, que em maio ocupava a segunda posição no ranking das maiores altas anuais, passou a liderar o avanço do total de dívidas em junho, mostrando crescimento de 16,36%. Em segundo e terceiro lugares aparecemos estados de Roraima e do Ceará, que ocupavam a primeira e a sexta posições, respectivamente, no mês anterior.

 

Metodologia

O novo indicador SPC Brasil e CNDL de inadimplência do consumidor tem abrangência nacional e calcula tanto o número de brasileiros inadimplentes quanto o de dívidas atrasadas.

Baixe o material completo por cada Estado da federação e a série histórica emhttps://www.spcbrasil.org.br/imprensa/indices-economicos

Informações à imprensa:

Guilherme de Almeida

(61) 3213-2030 | (61) 8350 3942

guilherme.dealmeida@inpressoficina.com.br

 

Vinícius Bruno

(11) 3251-2035 | (11) 9-7142-0742 | (11) 9-4161-6181

vinicius.bruno@inpressoficina.com.br

30/07/2014 - Três em cada dez brasileiros já fizeram empréstimos consignados, revela pesquisa

De acordo com dados do estudo, 47% dos consumidores entrevistados alegam contratar o crédito para pagar dívidas como as do cartão de crédit

 Uma pesquisa realizada pelo Portal Meu Bolso Feliz, uma iniciativa de Educação Financeira do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), revela que três em cada dez brasileiros (34%) já fizeram empréstimos consignados. Com a taxa de empregabilidade brasileira estável, esse tipo de empréstimo é cada vez mais utilizado no país. Entenda porque essa modalidade de crédito é umadas mais baratas do mercado, saiba quem pode ter acesso a ela e em quais situações recomenda-se contratá-la.

O crédito consignado nada mais é que um tipo de empréstimo que é cobrado do salário ou da aposentadoria antes mesmo que o trabalhador ou o aposentado possa por as mãos nesse dinheiro. Como o risco de calote para quem empresta o dinheiro é muito baixo -- já que as parcelas da dívida são descontadas diretamente do rendimento da pessoa que toma o dinheiro emprestado -- essa modalidade de crédito é uma das mais baratas e mais populares do mercado.

"O empréstimo consignado oferece a vantagem de pegar dinheiro emprestado a juros muito baixos. Por outro lado, a pessoa que toma esse tipo de crédito precisa aprender a conviver com um salário ou renda menor", alerta o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

Outra informação fundamental diz respeito ao limite máximo que essa linha de empréstimo admite. É que de acordo com as determinações do Banco Central, o valor da parcela do empréstimo não pode ser maior do que 30% do salário ou da aposentadoria da pessoa que toma emprestado. Sendo assim, se um trabalhador ganha R$ 1,8 mil por mês, o valor de cada parcela não pode ser maior do que R$ 600.

Em qual situação contratá-lo?

A pesquisa do Portal Meu Bolso Feliz perguntou para os consumidores sobre a situação em que eles contrataram o empréstimo consignado. "Pagar dívidas de outros empréstimos como as do cartão de crédito" aparecem em primeiro lugar, com 47% das respostas, seguidas de "comprar eletrodomésticos e móveis", com 15% e "pagar contas como aluguel, condomínio, luz, telefone, escola", com 14% das respostas.

"O crédito consignado deve ser acionado em situações de sufoco como pagar uma dívida muito cara como, por exemplo, o rotativo do cartão de crédito, que cobra um dos juros mais caros do mercado ou em situações de emergência quando o consumidor se sente naquela situação em que o teto da casa cai", orienta José Vignolli.

Por outro lado, segundo o orientador financeiro, pagar contas ou comprar eletrodomésticos são situações que devem ser programadas com antecedência e podem perfeitamente ser encaixadas no orçamento da família.

"O crédito foi criado para ser usado e para realizar sonhos importantes, em situações em que muitas vezes não poderiam ser concretizadas de imediato. Porém, precisa ser utilizado com sabedoria e planejamento para que o sonho não se torne uma dívida", diz o educador.

Quem pode pedir esse empréstimo?

Basicamente os trabalhadores com carteira assinada (desde que o empregador tenha convênio com o banco), os funcionários públicos, os pensionistas e os aposentados. Os bancos em geral tendem a dar condições melhores aos funcionários públicos e aos aposentados por conta da estabilidade nos recebimentosque em média esse tipo de pessoa tem.

"O fator mais determinante para calcular o custo do juro é o risco de calote de quem empresta o dinheiro. Por exemplo: como um trabalhador de empresa privada tem maiores chances de ser demitido do que um servidor público, é natural que o servidor, por conta da sua estabilidade, consiga empréstimos em melhores condições do que o trabalhador de empresa privada", explica Vignoli.



Fonte: Assessoria de Imprensa da CNDL